SPC – Statistical Process Control (CEP – Controlo Estatístico do Processo)

O Controlo Estatístico de Processo (CEP) consiste num conjunto de métodos usados para a monitorização e aperfeiçoamento contínuo dos processos industriais.

O conhecimento e compreensão da variabilidade dos dados associados a um requisito /especificação da qualidade é o principal objetivo do CEP. Segundo Dr. Walter A. Shewhart a variabilidade de um processo pode ocorrer devido a:

– causas comuns, inerentes à natureza dos processos e que não podem ser corrigidas sem uma alteração significativa do mesmo

– causas especiais, associadas a problemas específicos, na maioria dos casos, facilmente identificáveis e resolvidos.

As cartas de controlo consistem nas ferramentas suporte do CEP e são usadas para distinguir entre os dois tipos de variação, de forma a prevenir a ocorrência de produto não conforme e identificar o momento em que se deve atuar sobre o processo. A pretensão é obter um processo sob controlo estatístico, i.e., a distribuição de probabilidade representada pela característica em análise é constante no tempo e as únicas causas de variação são naturais ou comuns.

Carta de Controlo

Etapas de Implementação de CEP

  1. Recolha de dados ou análise do histórico
  2. Identificar a distribuição estatística adequada e identificar parâmetros do processo
  3. Identificar o tipo de cartas de controlo a utilizar
  4. Definir o plano de amostragem
  5. Determinar os limites de controlo e interpretar comportamento
  6. Deteção de causas especiais e eliminação dessas causas
  7. Evidência de processo sob controlo estatístico
  8. Melhoria do Processo.

Muito naturalmente, a consequência lógica da implementação de um CEP é o Estudo de Capacidade do processo, i.e., a avaliação se este é capaz de cumprir com as especificações (de cliente ou internas). Pretende-se pois, averiguar se estamos na presença de um processo capaz, i.e., consegue consistemente produzir produtos ou prestar serviços que cumprem as especificações.

A estabilidade do processo (através da análise de cartas de controlo) e o assegurar que se está na presença de dados normalmente distribuídos (caso contrário, deve-se transformar esses dados ou utilizar outra distribuição), surgem como pré-requisitos essenciais a este Estudo de Capacidade do processo.

ARTIGOS

Monozukuri wa Hitozukuri

Consulte o artigo de Bruna Cunha sobre Monozukuri wa hitozukuri : “fazer as pessoas antes de fazer as coisas”

O Poder dos 5S no Desenvolvimento da Filosofia Lean

Consulte o artigo de Núria Farias sobre O Poder dos 5S no Desenvolvimento da Filosofia Lean.